9 de jul de 2014

2 Diário de uma menina - Os olhos verdes

Eu adorava estar na igreja, nós evangelizávamos... fazíamos ponto de fé, levávamos muitos jovens aos encontros de jovens realizados na igreja do Brás na época.

Logo veio a Catedral da João Dias, eu estava envolvida em tudo EU ERA A UNIVERSAL!

E por muito tempo eu fui Feliz! Eu tinha paz! 
Mas na escola fui conhecendo pessoas novas, amigos "descolados".
Já não ia todos os dias à igreja, já não me envolvia tanto no grupo jovem.
Conheci um garoto, ah... ele era o menino mais bonito da escola e eu queria namorá-lo!!
Me vi apaixonada por ele e bem distante de Deus.
Finalmente consegui beijá-lo.

Me afastei de tudo, meu objetivo era ficar perto dele.
Mas foi questão de tempo e ele não me queria mais, e eu me vi sem ele e sem Deus.
Já não tinha forças pra voltar, o mundo me ofereceu coisas que antes eu abominava, mas eu quis conhecer pois achava que tinha perdido tempo na igreja e que caretas eram o jovens da igreja.

Nunca usei drogas, não fumei mas comecei a tomar "umas batidas com bebidas alcoólicas", mentia para meus pais para poder ir na praça (puxa vida eu só ia dar uma volta na praça do meu bairro!! Nem isso eles deixavam).
E por ficar presa, nunca poder fazer nada, eu quis mais ainda descobrir o que meus pais tanto me preservavam desse mundo.

Comecei a frequentar o terminal de ônibus do bairro, onde os rapazes andavam de skate e lá conheci um moço (vou preservar seu nome, não quero expor ninguém aqui, apenas contar minha história para vocês principalmente as moças que acham que aquele rapaz descolado ama vocês... Não!! Ele não ama! Só existe Amor quando colocamos Deus a frente.)
Vou chamar esse moço de moço mesmo! 

Eu me apaixonei por ele, eu achava ele lindo um rapaz grande, forte e olhos verdes (acho lindo rsrs).
Eu todos os dias ia lá para ver ele andar de skate, eu comecei a gostar das músicas, o estilo de roupa e de vida dele.
Ele era usuário de maconha, eu apesar de nunca ter provado não me importava, e comecei até achar que "era uma erva medicinal, não pode te prejudicar como diz o cantor Marcelo D2 em uma de suas músicas".
Começamos a namorar, mas pelo fato de eu não poder sair a noite eu só o via na saída da escola e na parte da tarde.

Meu pai descobriu e não aceitou, ele conhecia a família dele e sabia o passado da irmã dele (traficante, estelionatária, e naquela época estava presa).
Eu não me importava eu já o amava! 
E foi aí minha queda.

Que vou contar para vocês no próximo capítulo.

Leia também: Diário de uma menina - O inicio
Leia também: Diário de uma menina - Conhecendo a Deus


COMPARTILHE!
Reações:

2 comentários:

  1. Que bacana!
    Estarei acompanhando o próximo capítulo!
    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom ;) ... o próximo cap promete rsrs
      Bjus

      Excluir