13 de jul de 2014

0 Jejum de Jesus - 34º dia

Estava lembrando da minha mãe, uma mulher muito forte, uma administradora do lar, tudo passava por suas mãos, aguentava tudo sozinha e calada, nunca deixava eu saber dos problemas, sempre tentou me poupar. Minha mãe nunca foi aquela mãe super protetora, nem carinhosa, sabe aquela que toda hora está beijando, abraçando e defendendo seus filhos com unhas e dentes. Poi sé, ela não era assim, isso foi bom para mim, porque aprendi muito cedo a me defender sozinha, amadureci mais rápido que muitas meninas da minha idade, claro que isso teve outras consequências também, por más escolhas minhas, porque minha mãe sempre me mostrou o caminho certo, até onde pode me guiou, mas chegou um momento ela já não podia mais interferir em minhas decisões.

Apesar da maneira que fui criada, eu nunca duvidei se quer por um segundo do seu amor, porque suas atitudes sempre falaram mais alto, não tive muitos beijos e abraços, mas tive uma MÃE que me mostrou uma caminho, uma FÉ  e provou seu amor nos momentos mais difíceis da minha vida, um verdadeiro anjo que Deus me deu, mas sabe qual a ultima coisa que me lembro dela antes dela partir, ela me abraçou quase sem forças, me beijou e disse como minha filha é linda!

Nosso amor a Deus e as pessoas não pode ser medido pelas palavras, pois elas se perdem no tempo, mas nossas atitudes ficam eternizadas... Talvez você mecanicamente adora a Deus, fala palavras de amor, mas suas atitudes só provam ao contrário, talvez em seus relacionamentos seja da mesma forma, é momento de sermos sinceros, é momento de provar quem realmente somos para Deus e para as pessoas que amamos.

Na fé,
Bjus
COMPARTILHE!
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário