13 de out de 2013

0 Propósito de João - Cap. 21

Este é nosso último comentário — por isso mais longo que os anteriores. Mas valerá a pena ler até o fim. 

O relato de João termina com a cena de mais um encontro do Jesus ressurreto com os discípulos, desta vez na beira do Mar da Galileia. Ele permaneceu na Terra quarenta dias depois de Sua ressurreição — dando sinais, ensinando, exortando e preparando os discípulos para o início da igreja.

Neste específico encontro, apenas sete dos onze discípulos estavam presentes. Onde estavam os outros quatro? Da outra vez, Tomé não estava, e perdeu o primeiro encontro com o Senhor. Já desta vez ele é nomeado aqui entre os sete. Parece que aprendeu a lição: seu lugar era junto com os discípulos.

Muitos cristãos perdem bençãos e oportunidades de crescimento espiritual porque não são presentes na igreja, não se unem aos outros discípulos que estão servindo ao Senhor. Querem que o Senhor lhes apareça individualmente. Note que todas as vezes que Jesus apareceu aos discípulos após a ressurreição, foi para os que estavam juntos. Você vê na igreja pessoas que servem a Deus com sinceridade e prontidão? Junte-se a elas, se quer receber mais de Deus. “Onde estiverem duas ou três pessoas reunidas em Meu nome, ali estarei no meio delas.” Não é que Deus não esteja perto de quem está só. É que Ele honra os que querem servir juntos, pois juntos podemos mais.

Toda esta cena da pesca parece ter um simbolismo muito grande. Jesus nunca fez nem falou nada por acaso. Por que escolheu aquele momento e lugar para aparecer para eles?

Os discípulos estavam ali um tanto perdidos sobre o que eram supostos a fazer depois dos eventos dos últimos dias. Pedro de repente veio com a ideia: “Eu vou pescar”. E os outros simplesmente decidiram acompanhá-lo.

Sabemos que Pedro era pescador. Mas desde seu encontro com Jesus, havia sido chamado para deixar as redes e se tornar pescador de homens. Estaria ele pensando agora em voltar à vida de pescador? Teria ele pensado que “foi bom enquanto durou” e que agora que o Senhor não estava mais ao lado deles para os alimentar, precisava arrumar um jeito de voltar à “normalidade” e cuidar da própria vida?

Não sabemos o que se passava na cabeça dele, mas parece muito clara a lição que Jesus deixou para eles ali na praia. Com apenas uma palavra, lhes ajudou a ter uma pesca abundante. Quando chegaram à praia, Jesus já tinha lá preparado para eles pão e peixe, e lhes deu novamente de comer. O recado era: “Não se preocupem com peixes, comida não vai faltar para vocês enquanto estiverem Comigo. Saiam do mar e vão atrás das pessoas! Elas sim precisam de vocês. Vocês são pescadores de almas, lembram? Cuidem das Minhas ovelhas e Eu cuidarei de vocês.”

Quantas vezes queremos voltar à vida antiga, temos saudades de coisas da vida pré-Jesus. Não sentimos falta do sofrimento, claro, mas podemos ser tentados por aquelas coisas que nos davam prazer. Temos que cuidar para não andarmos para trás.

Quantos foram chamados para ganhar almas, mas com o tempo voltaram a se preocupar somente com si mesmos?

Veja também como Jesus retribui com abundância. Quando Ele apareceu entre os discípulos dias antes em Jerusalém, à portas fechadas, “lhe apresentaram um pedaço de peixe assado”. (Lucas 24.42) Era tudo o que eles tinham. Agora, Ele os retribui para lá de cem vezes mais: 153 grandes peixes. Quem pode dar a Deus mais do que Ele dá? Como ser mesquinho ou ter medo de abrir mão de meras migalhas para o nosso Senhor quando Ele com uma só palavra pode ordenar as riquezas que venham para nossas mãos?

A outra parte deste capítulo nos mostra como Jesus lidou com o erro de Pedro por tê-lO negado três vezes. Ele não o esculachou, não o humilhou, nem lhe jogou seu fracasso na cara. Sabia que Pedro já havia chorado amargamente e punido a si mesmo.  Jesus com certeza viu a tristeza de Pedro, que novamente veio à tona quando o Senhor lhe perguntou três vezes a mesma coisa. A tristeza divina é para o bem, produz arrependimento. Muitos não se sentem tristes por seus pecados, por isso nunca se arrependem e nunca conseguem vencê-los. (2 Coríntios 7.10)

E porque o Senhor viu esse arrependimento sincero em Pedro, foi prático e focou apenas no que ele deveria fazer a partir de agora. O passado passou. Se você  já deixou de errar, o que importa agora é o que você vai fazer para acertar.

Mas o Senhor ainda tinha mais uma lição para Pedro. Era com respeito a como ele se preocupava com os outros e competia com eles. Por isso o Senhor lhe perguntou, “Você me ama mais que estes outros?”

Antes de negar Jesus, Pedro havia dito-Lhe: “Ainda que todos se escandalizem, eu, jamais!” (Mateus 14.29) Se achava mais forte, mais capaz e mais fiel que seus colegas. Não devemos nos achar melhores que os outros. Ainda que devemos procurar ser melhores que todos, temos que em humildade de espírito estimar a outros melhores que nós, pois conhecemos nossas fraquezas melhor que as deles. Até a fé e a santidade podem nos fazer orgulhosos.

Mas mesmo depois daquela pergunta, parece que Pedro ainda não tinha se tocado que devia se preocupar consigo mesmo e não se preocupar com a vida dos outros. Quando o Senhor lhe chamou para segui-lo, Pedro foi, mas olhou para trás e viu que João também os acompanhava. Como Jesus acabara de dizer o tipo de morte que Pedro sofreria, este quis saber também o que aconteceria com João. E foi então que Jesus, diretamente, deu-lhe uma na testa: “O que você tem a ver com isso?”

Cuidar de nossa própria vida já é trabalho o bastante. Não precisamos cuidar da dos outros.

E é com este aviso que terminamos esse Propósito. Cuide de sua vida. Como você deve ter percebido ao estudar este livro, ela é preciosíssima. O custo dela foi a vida do próprio Filho de Deus. Com este preço, você recebeu o direito de ser filho também. O mesmo convite que Jesus fez a Pedro, faz agora a você: “Siga-Me.”

O que fazer agora?

1. Passe a ser um seguidor de Jesus. Deixe a religião, seja qual for, pois ela é um sistema de homens que lhe amarra mais que lhe ajuda. Deixe-a e passe a cultivar um relacionamento real com Deus através do Seu Filho.
2. Continue meditando na Palavra de Deus. Veja como este Propósito lhe fortaleceu. Por que parar? Meditar nela lhe ajudará a conhecê-lO melhor e lhe fortalecerá a fé a cada dia. Frequente uma igreja onde a Bíblia é vivida por seus pregadores, e una-se a outros cristãos que tenham o mesmo espírito. Uma igreja forte lhe faz forte. Mas não vá lá para cuidar da vida dos outros. Basta a sua.
3. Ajude outros a conhecerem Jesus. Depois de zelar por sua própria salvação, esta é sua maior responsabilidade. O que Deus lhe deu não é só para você. A melhor maneira de apresentar Jesus aos outros é viver como um verdadeiro irmão d’Ele. Deixe sua luz brilhar. E aproveite toda oportunidade para falar d’Ele para alguém.
Por último, um pedido. Se este Propósito de João lhe abençoou, convença pelo menos três pessoas a fazê-lo. Passe este link para elas e motive-as a participar. Elas podem começar quando quiser. Esta é a melhor maneira que você pode me agradecer — me ajudando a levar outros a conhecer esse Jesus que mudou a minha vida e agora a sua!


Muito obrigado. Paz!
COMPARTILHE!
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário